465

Conheça nosso Blog!

Acompanhe

Aqui será o nosso espaço especial destinado ao tema "marketing", postarei artigos sobre o assunto e gostaria muito de saber sua opinião! Vale debater, discordar, reclamar, concordar e até compartilhar se quiser. Vamos nessa?

Achiles Junior

Por Achiles Junior no dia 18/04/2019

Artigos do Prof. Achiles

A busca pelo unicórnio perfeito: Startups e as premissas de uma nova economia

O fato é que as chamadas startups representam negócios considerados inovadores e que apresentam um novo conceito ou algum produto ou serviço que não se encontra disponível no mercado no momento em que a economia criativa atinge seu auge (ou não?) e que está transformando esse movimento em algo de grande validade futura, pois no momento em que são lançadas e implantadas neste mercado propiciam novas formas de sobrevivência para as grandes corporações principalmente devido ao fato de possuírem novas tecnologias que podem ser inseridas para alavancar as mais diversas áreas estratégicas, bem como podem ajudar na criação de novos modelos de negócios escaláveis e sustentáveis ou pelo menos deveriam em decorrência do momento do mercado atual, afinal uma das premissas da nova economia é o cunho sustentável dentro do chamado tripé da sustentabilidade (econômico, social e ambiental), sendo assim ao se observar as startups como empresas construídas para desenvolver modelos de negócios escaláveis, sustentáveis e replicáveis, que se ampara na premissa do empreendedorismo dito social, as startups quando inseridas nesse novo mercado tem como preocupação básica alcançar uma escala competitiva, bem como estabelecer uma posição de liderança em um mercado que se preocupa, cada vez mais, com as inovações e os pressupostos da sustentabilidade, ou pelo menos deveria seguir por esse caminho lógico, pautado pela nova economia e suas vertentes? Nessa reflexão sobre o emprego dos preceitos da sustentabilidade e a sua aplicação dentro do ambiente de negócio escalável e replicável, surge a reflexão e debate acerca do real desenvolvimento sustentável, afinal são instituições humanas projetadas com o intuito de construir novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza e por serem empreendimentos um questionamento torna-se premente, afinal de acordo com vários autores e pesquisadores a definição de uma empresa sustentável, é que a mesma contribui para o desenvolvimento sustentável ao gerar, simultaneamente, benefícios econômicos, sociais e ambientais. Verifique a imagem que representa visualmente as variáveis que as startups devem seguir ao desenvolver suas ideias a partir de premissas da sustentabilidade.

Fonte: Schneider; Castelo Branco (2012), p. 111.

Como base nessa reflexão o comparativo com o modelo econômico atual (capitalista) se contrapõe ao movimento motivado pelo desenvolvimento sustentável que tende a ser um dos movimentos sociais mais importantes deste início de século e milênio, ou tudo que se fala sobre o tema é apenas uma estratégia de mercado para aparentar seguir uma tendência e com isso faturar cada vez mais?

Afinal despertar e satisfazer as necessidades do momento sem comprometer as futuras gerações futuras é um caminho real ou seria mais do mesmo em um ambiente no qual os negócios estão sendo constantemente confrontados com os desafios impostos pelas imposições acerca dos debates a respeito dos aspectos ambientais e sociais das novas e velhas organizações no mercado? Em tempos nos quais os chamados stakeholders buscam empresas que trabalhem com o tripé composto pelos aspectos econômicos, sociais e ambientais pensar em qual o caminho a ser seguido pelas startups que representam o novo dentro da economia e realmente trazem uma nova solução real com norteamento para preocupação com a sustentabilidade das novas gerações é fundamental. Afinal conviver em uma sociedade na qual as startups estão apenas envolvidas em uma onda de ganhos rápidos buscando atingir a fase de unicórnio[1] e resolver apenas o aspecto de um dos tripés da sustentabilidade, o econômico, pode ser preocupante, concorda?

“É muito melhor lançar-se em busca de conquistas grandiosas, mesmo expondo-se ao fracasso, do que alinhar-se com os pobres de espírito, que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem numa penumbra cinzenta, onde não conhecem nem vitória, nem derrota.” Theodore Roosevelt

[1] Uma empresa unicórnio é aquela que conseguiu algo tão difícil quanto encontrar a criatura mítica: ser avaliada em 1 bilhão de dólares antes de abrir seu capital em bolsas de valores. Fonte: https://www.napratica.org.br/o-que-startups-unicornio/